Marítima

1

Setenta por cento água
no corpo e no mundo
vazam ao entorno
para fora de tudo.

A pele, antigo veludo,
um azul sem contorno
indolente e profundo
que nunca naufraga.

2

Faltam olhos à manhã.
O dia não vê quanto fica.
No mar, a baleia impera.
O marinheiro chora.

À partida, a causadora
é ela. Sua tez é cera
de que ele abdica.
A tarde nos pés da anciã.

3

Ao horizonte anuncia:
vêm ou não me salvar
iaras, ondinas,
vagas, espumas?

Todas ou nenhuma
me traga o mar,
a estrela matutina
já me deu moradia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s